/* /* /* Bananada de Goiaba

Bananada de Goiaba

PEQUENOS REGISTOS PARA os meus amigos, que nunca sabem nada de mim... e sei lá eu se com ISTO vão saber mais, ou melhor!
 

20 anos depois

quinta-feira, novembro 18, 2004

Fui almoçar ao chinês que o Márinho O.P. me levou no outro dia.
Aquele no Rossio… o tal, que toda a gente de Macau conhece e vai lá e fala em chinês, menos eu!

Aproveitei e fiz uma surpresa ao Márinho O.P. Apareci com a Núria e com a Martinha, a bébé dela de 3 meses. O Guilherme (o rebento + velho da Núria, o garoto que o meu irmão irá conhece-lo quando for para a tropa, e que já tem 2 anos, vai para a próxima.)

Para nosso espanto, quem lá estava?
A Xana, a Guida e a Raquel! Garotas do grupo do meu irmão e do P.P. Pessoal que parava na Lucy.

Naquela altura, a nossa diferença de idade era gigantesca, mas agora não se nota nada.

Eu continuo muito mais velha, como é obvio (infelizmente não rejuvenesço - não tenho aquele liquido verde para diminuir de idade como nos meus Sims!), mas elas também estão todas na casa dos 30's!

---
(pôrra!!! Doi-me tanto a cabeça! Este é o post de ontem que eu não acabei. Vou tentar finaliza-lo agora. Se eu não conseguir que me entendam, se eu não escrever coisas com pés e cabeça, deem-me um desconto p.f. porque estou com a minha massa encefálica a latejar! Obrigada.)

--
Resultado do almoço: recuei no tempo. Durante duas horas tive novamente 17 anos e chamava-me Nô!

É estúpido, eu sei! E o pior? É que eu não me identifico com essa Nô!
Acho que não sou eu…
Faz-me confusão o Márinho O.P. e a Núria tratarem-me por Nô. Parece que se estão a dirigir a alguém, que não eu, que está ao meu lado. É dificil de explicar…

Naquele verão que chegamos a Macau, nós não conheciamos ninguem, não tinhamos amigos, então eu e a minha irmã combinamos rebatizarmo-nos.
Quando as aulas começaram e fomos para o Liceu “velho” eu apresentava-me como Nô.
Uma brincadeira estupida que pegou.
Ficamos amigas de outras duas irmãs, a Ana e a Claúdia e elas quizeram fazer o mesmo! Mas só o meu Nô em detrimento do Cristina é que vingou!
Ainda hoje estou para perceber o porquê!

Eu não gosto do meu nome! Então do primeiro - mãe, onde é que tu estavas quando deixaste a avó por-me o nome da sogra dela? - venha o diabo e escolha, mas Nô? Peloamordasanta, revela logo o tamanho mau gosto que eu tinha na altura (imaginem “TINHA”).

Mas eu mudei assim tanto?

Fisicamente parece que não! “Estás igualzinha!!!” - diziam-me elas! - '' é incrivel, não mudaste nadinha, Nô!” - continuaram.

Bem, fazendo uma breve analize ao conteúdo da embalagem, concordo.
Não mudei nada, tirando umas rugas de expressão que tenho nas bochechas (por me rir demais - já me dizia a minha avó “muito riso, pouco siso”). Sim, a maneira de vestir é exactamente igual e continuo sem me pintar!

O Márinho (o da avó Palmira), já desistiu há muito de me fazer aquelas observações:
- Vais para o Liceu?
- Não… vou trabalhar, pq?
- Parece! Não tens + nada sem ser gangas e tenis? Levas a vida a comprar roupa e andas sempre igual!
(o sonho dele é que eu um dia vista a tal meiínha da liga e calce aquele sapatinho á lá Cinderela… - coitado! - eu também, Espero, Um Dia, que me saia o totoloto!!!)

Oh que carago!!! Já me perdi…. Onde é que eu estava?... ya, no meu retrato fisico!

Agora o psicológico! As diferenças entre a Nô e a Cristina…!

Para ser sincera, não sei se são muitas. Provavelmente não!

Mas o facto de eu ter deixado a Nô lá, em Macau, faz toda a diferença!

***
 

"Que dias há¡
que na alma me tem posto
Um não sei quê,
que nasce não sei onde
vem não sei como
e dói não sei porquê."

(Luis Vaz de Camões)

plosanimais
Na minha vida REAL...

 

"A realidade é um detalhe,
  Pra quem sonha ela é um desafio.

 

... fica para depois!

neste momento não consigo ler mai nada!!!

 

Existem, e tenho que ler...
No baú

@ Correio